Gestão

Gestão de estoque do ramo alimentício: um passo a passo para você fazer o seu!

Economart
9 de julho de 2021

Publicado por: Economart

Você sabia que a gestão de estoque da sua empresa do ramo alimentício é capaz de influenciar a economia financeira, a qualidade dos serviços, os resultados do negócio e a satisfação do cliente?

Por meio dessa prática, você consegue organizar e monitorar a entrada de matérias-primas e de insumos, além da saída de produtos. Ela também é responsável por garantir planejamento, controle e um conhecimento mais profundo da organização.

Não é à toa que a gestão de estoque é um dos processos mais importantes para o sucesso do empreendimento. Por isso, a seguir, selecionamos algumas dicas para ajudar na boa gestão de estoque. Confira!

Por que fazer uma gestão de estoque?

O estoque é o local em que um restaurante ou lanchonete armazena insumos que serão usados na produção dos itens do cardápio. Ele também pode guardar os chamados 'produtos finais', ou seja, aqueles que já estão prontos para o consumo.

Exemplos de insumos são: carne congelada, queijo, farinha e legumes para serem usados no preparo de hambúrgueres e pizzas. Já os produtos finais representam os pratos finalizados ou, ainda, refrigerantes e cervejas.

Já a gestão de estoque é o processo de monitoramento dessas entradas e saídas do estoque, garantindo que o negócio continue rodando tranquilamente. A seguir, entenda aos motivos para você investir mais na gestão de estoque!

Manter as atividades produtivas

Algumas empresas funcionam bem sem manter um estoque. Mas essa não é a realidade dos negócios do ramo alimentício. Afinal, quando o cliente pede um cheeseburguer, o atendente não pode ir ao mercado comprar o queijo naquele momento, certo? Todos os itens devem estar armazenados, pois é assim que o negócio garante a produtividade, satisfação do cliente e sua manutenção.

Garantir a sobrevivência do negócio

Como consequência, a empresa sobrevive. Se você se der conta de que o pão está acabando e conseguir fazer compras antes que ele acabe de vez, você garante a base para que seu negócio funcione. Ou seja, ao controlar o estoque, você toma decisões melhores.

Conquistar um diferencial competitivo

A gestão de estoque também permite organização e controle. Você evita furtos, perdas, como deixar vencer a validade de determinado produto perecível, e identifica o uso excessivo de determinado produto ou a possibilidade de remover algum deles das compras. Isso permite melhores resultados, além de mais satisfação do cliente, levando ao diferencial competitivo.

Quais são os objetivos da gestão de estoque?

Em qualquer negócio, a gestão de estoque tem o mesmo objetivo: equilíbrio. É comum o pensamento de que manter um grande estoque é uma ótima prática. Mas sabia que isso não é vantajoso?

Na gestão de estoque, tanto o excesso quanto a falta são prejudiciais. O primeiro mantém os itens parados por muito tempo, o que significa, também, dinheiro parado ou perdas de produtos. Com a inflação, isso diminui o lucro.

O segundo resultado, por sua vez, aumenta o risco da chamada ‘ruptura de estoque’, que é quando o cliente demanda por um produto que a empresa não pode entregar. Isso leva à insatisfação e experiência negativa. Assim, é importante que o estoque tenha rotatividade e alto giro: itens entrando e saindo de forma constante.

Como fazer a gestão de estoque do seu empreendimento?

Vimos até aqui que a gestão de estoque interfere negócio de várias formas. Confira, agora, os passos importantes para ter mais sucesso nessa prática!

1. Crie um inventário

O inventário é o documento em que estão listados todos os insumos do estoque. É a partir dele que se faz contagem de materiais e se tem maior conhecimento de como funciona a empresa, ou seja, suas demandas e necessidades. O objetivo é facilitar o controle, garantir mais padrão na qualidade, segurança nas decisões e previsibilidade.

2. Invista em um método de organização

Organização é fundamental. Dentro da gestão de estoque, existem vários métodos que ajudam nisso, e a escolha de um deles depende do tamanho e do tipo da empresa. No ramo da alimentação, você pode encontrar pontos favoráveis nos seguintes.

Kanban

É um sistema visual, que utiliza cores e códigos. Eles ajudam a identificar mais rapidamente os itens que estão acabando ou os que estão mais perto de vencer, por exemplo.

Duas gavetas

É um método bastante simples e usado, geralmente, para itens de baixo valor. Consiste em separar em duas gavetas (ou sacos ou prateleiras) os insumos a serem utilizados. Isso ajuda a acompanhar a movimentação deles, pois a ideia é que, quando a primeira gaveta termina, chegou o momento de fazer o reabastecimento.

Classificação XYZ

Classifica os itens de acordo com a criticidade. Quanto mais crítico, mais essencial para o funcionamento da empresa. Itens da classe X não acarretam perdas e podem ser substituídos por outros. Por exemplo: materiais de limpeza do estabelecimento e Ketchup.

Os da classe Y podem impactar o fluxo de produção, se faltarem, mas ainda podem ser substituídos, ainda que haja alteração na qualidade. Por exemplo: troca da marca dos pães.

Os itens Z são imprescindíveis e não contam com substitutos. Por exemplo: marca específica de cerveja que o restaurante se comprometeu a vender.

3. Conte com a tecnologia

É possível contar com softwares ERP (Entreprise Resource Planning), pois facilitam boa parte do trabalho. Eles centralizam as informações, evitam erros, automatizam processos, controlam o preço de compra e cuidam da movimentação dos insumos, por exemplo.

homem usando a tecnologia para fazer a gestão de estoque do seu negócio

4. Preste atenção na sazonalidade

O equilíbrio no estoque requer saber que a demanda no consumo dos itens pode oscilar de tempo em tempo. Podem existir meses em que uma sobremesa sai mais, e outros em que há aumento no pedido de determinado alimento. Férias escolares, Dia da Pizza, Dia do Hambúrguer e o clima local são fatores que podem influenciar.

5. Tenha fornecedores confiáveis

Contar com bons fornecedores garante diversas vantagens, como economizar nas compras de supermercado, obter mais lucro no negócio, conquistar a satisfação do consumidor pela qualidade dos pratos, além de evitar problemas no momento de reabastecer o estoque. Ou seja, os fornecedores influenciam em todas as etapas do processo produtivo e das vendas.

Uma recomendação é criar parcerias com um atacadista, pois a estratégia facilita conseguir descontos a partir da aquisição de determinada quantidade de insumos, aumenta a praticidade no planejamento administrativo e financeiro, favorece a rotina de compras e recebimento, além de certificar a confiança e a responsabilidade na segurança do alimento e da saúde do cliente.

Empreender requer boas práticas de administração. A gestão de estoque, como você viu, é indispensável para o negócio do ramo alimentício continuar vendendo bem e sempre satisfazendo os clientes. Por isso, aplique esses conhecimentos para aprimorar os resultados e lucro, ok?

Gostou das nossas dicas? Siga o Economart nas redes sociais e continue tendo acesso a outros conteúdos interessantes. Estamos no Instagram e no Facebook!

Posts Relacionados

Nenhum post relacionado até o momento

icone para o facebook icone para o facebook icone para o facebook
Produzido por: